Sobre o amadurecimento da vida e do armário !

   Ei pessoas!
 
   Tudo bem com vocês? Aproveitando o feriado horrores? 
 
  Hoje eu vim falar com vocês sobre duas coisas que tem rodeado a minha cabeça ultimamente. Desde que completei meus 20 anos, venho procurando melhorar não só a forma como lido com as minhas responsabilidades, mas também, a maneira como eu me visto. 
   A primeira grande mudança foi o corte de cabelo. Uhum, sim senhora. Foi tudo bem pensado. Cortar o cabelão e apostar em algo mais fresco e prático tem se provado cada dia mais uma das melhores decisões da minha vida. Não só me ajudou na minha imagem profissional, como também agilizou várias coisas no dia-a-dia. 
    Depois do cabelão, veio a reflexão sobre a forma como eu consumo tudo ao meu redor. Alimentação, informação e moda, também. Por já ter tido alguns probleminhas ao longo desses humildes 20 anos de caminhada, preciso sempre estar atenta ao que eu como, especialmente em relação à açúcar (quando eu falo que gente magra não é sinônimo de saúde ninguém acredita. Pois, ACREDITEM!). 
     Informação, putz. Eu faço Jornalismo e por isso já desconfio de tudo, até de mim. Mas, muito além da informação, é o que está por detrás dela, especialmente ao conteúdo relacionado à beleza. Padrões existem para vender remédio contra depressão e fazer você acreditar que se seguir todas as dietas loucas, vai caber de novo naquela peça 38. Depois que parei de comprar revistas de moda me senti muito mais por dentro da moda do que antes. Existem váaarios blogs bacanas que buscam ressaltar maneiras diferentes de se consumir vestuário e de se olhar no espelho. Esses sim, valem à pena e, não, os “must-have” da vida. Se quiserem, depois posso fazer uma listinha deles para vocês! 😉
     E, por fim, veio a consciência do consumo mesmo, de como comprar menos e melhor. A primeira etapa que me propus foi a de comprar peças melhores, que vão durar mais e combinar por mais tempo também. O maior desafio aí, é que essas peças são bem mais caras do que as basiquinhas de 20 reais da Leader hehe. 
       Então eu decidi começar pelas peças de sair, porque sim, eu sou uma pessoa que tem roupas para sair e outras para o dia-a-dia.  Só que, a pessoa aqui não é de sair muito, então o que rolava era, na hora que eu precisava de uma roupa mais arrumada, ela já tinha sido muito bem empregada nos looks diários mais arrumados. haha. Sabe aquele dia que você acorda tipo, querendo ser capa de painel de Pinterest? Pois então, o problema é que nessa brincadeira, eu estava gastando mesmo todas as minhas roupas legais no dia-a-dia. 
      Daí, eu resolvi adquirir peças exclusivamente para saídas, mas que fossem curingas, pois a ideia é que elas combinem com o maior número de roupas possível. Vamos a elas?
 
 

Peça número 1

 
   Comecemos por baixo haha. Eu queria uma calça que fosse diferente de jeans ou só colorido e achei essa na Caricatura Jeans, em Juiz de Fora, LINDA. Primeiro porque apesar de ser estampada, ela possui tons neutros e o desenho dela é super tribal e hippie, coisa linda mesmo gente. Já usei ela e ó, sucesso! Cheguei a colocar uma foto no insta do blog (@modaorigem) com uma outra peça que virá, daqui a pouco na lista. Além do mais, ela é de cintura alta que, além de confortável, dá uma elevada na elegância né. 
 
 
 
 

Peça número dois

 
 
   Essa peça não é tanto para sair, mas ela é muito necessária. Primeiro porque eu estava com duas calças jeans no armário, uma para sair e outra para usar diariamente. E o que acontecia? Eu acabava usando a de sair várias vezes durante a semana. Então, eu resolvi comprar uma calça jeans flare de cintura alta que, caso eu tivesse que ir do trabalho para algum lugar, poderia colocá-la sem gastar a outra e ainda assim ficar arrumada. Gente, bola super dentro, a calça é mega confortável e muito bonita. A eleita é da loja Hill Store. O que eu mais gosto nela é o fato de ser flare, sem ser exagerada. Para quem não sabe, flare é o nome chique para “boca-de-sino”. E às vezes é difícil usar uma calça de boca larga com sapato baixo, por isso essa ficou na medida certa. 
 
 
 

Peças número três, quatro e cinco

 
Vamos para a parte de cima?
 
   Bom, a ideia foi investir em versões mais chiques de peças relativamente básicas. Por exemplo, todas as blusas são de alças mais finais, soltinhas e compridinhas, o que faz muita diferença na hora de compor looks mais arrumados. 
   A preta é de cetim, mas sem ser do tipo brilhoso, é mais delicada e ainda tem o bordado para dar um charme 😉
A branca é de crepe e a renda é coisa mais linda do mundo. E a vinho bordô, comprada na Hering ( uhum) é de tecido e é super confortável. Já usei ela com uma calça jeans escura de cintura alta mais ankle boot. #TheKillingLook haha
 
 
 
 
 
 

Peças número seis e sete

 
   Sobre as batas, comecemos a explicá-las assim: AMO outono-inverno e mesmo que ainda não esteja fazendo nem um pouco de frio, já comprei as duas peças que eu sei que vou usar muito a partir do final de Maio. haha. Mas, confesso que tenho minhas dúvidas em relação à segunda bata. Quando eu vesti ela, achei linda, diferente e bem hippie-chic. O problema é que agora estão brotando várias versões dela por aí, o que me preocupa já que aquele famoso papo de vendedora, “compra, tá todo mundo usando”, sempre foi super efetivo para eu lagar a peça no mesmo lugar. Enfim, vamos ter que esperar para ver. Mas a primeira bata não, essa eu queria mesmo, manguinha três-quartos, fresquinha, elegante e com um detalhe de crochê na frente que com um blazer, já sei que vai virar uniforma das saídas. 
 
 

Peça número oito

 
    E, por fim, a boa e “velha” camisa jeans! Sim, eu já tenho duas camisas jeans. Acontece que naquela historinha do “usei a de sair”, eu acabei acabando com uma das minhas camisas e hoje ela está mais velha do que a que eu comprei para usar durante a semana. Pois é. Shame on me! 
  Por isso, eu decidi comprar essa moça aí de cima, jeans tradicional, levemente manchada( na foto a mancha ficou mais clara do que realmente é) e de botões em detalhe madre pérola. Simples e chique. Não precisa de mais nada. A selecionada foi a da loja virtual YouCom. Não lembro mais por onde conheci a marca, mas a camisa chegou super rápido, não paguei frete e ela serviu direitinho. Valeu o risco!
 
   Bem, foram essas as minhas escolhas no processo de amadurecimento do vestuário. Vocês devem estar imaginando a minha falência múltipla dos órgãos com tantas peças adquiridas em um mesmo mês. Nenhuma delas ultrapassou o orçamento, mas eu, de fato, me dispus a pagar um preço maior, até porque a ideia é de que elas sejam curingas e na lógica da divisão do preço pelo número de vezes usadas, que elas façam valer o custo benefício. E, além disso, eu sempre procuro doar peças que não uso mais, pelo menos a cada dois meses, especialmente em fim de estação, e também vendo algumas peças melhores na minha lojinha do Enjoei, sempre buscando um equilíbrio. E ah! Toda vez que uma basiquinha do dia-a-dia entra, sai uma velhinha que eu não uso mais. 😉
 
Boa semana para vocês, tchucos!
 
E ó, quarta ta chegando e junto com ela uma das grandes novidades do blog pra esse semestre!
 
Beijos no coração,
 
Maria
 
Anúncios

Um comentário sobre “Sobre o amadurecimento da vida e do armário !

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s