E com vocês, a realeza da Moda

 

Diane von Furstenberg

Ex-esposa de um príncipe, Diane sempre foi admiradora de jóias. Para ela, as joias devem ter 3 tamanhos : clássico, grande e bold ( o último, o seu preferido).
 
 
 
 
   Diane Simone Michelle Halfin nasceu em Bruxelas, Bélgica, filha de judeus ( sua mãe a teve tempos depois de ter passado por Auschwitz), ela conheceu seu futuro marido e príncipe na faculdade, enquanto estudava Economia, na Suíça. Casou-se em 1969 e passou a ser Diane von Furstenberg. Mas porque temia ser só mais uma menina casada e fazer as vontades da realeza, ela passou a investir em sua própria linha de produção já em 1970. A união não foi muito bem vista pela família do noivo, que é alemã, devido à origem judia da estilista. Apesar disso, seus dois filhos receberam o título e o mantêm, ao contrário dela que, após o divórcio e seu segundo casamento, perdeu o direito de tê-lo. 
   Atualmente, Diane é casada com Barry Diller e mora em Nova York. Medita todos os dias e possui uma disciplina alimentar. Mas o que hoje é estável, não era no início de sua carreira. Sua marca já chegou a declarar falência por conta da vida amorosa conturbada de Diane que dificultava seu processo criativo e a administração da marca. Além disso, nesse meio tempo, a estilista ainda teve que lidar com um câncer.
Por isso, sua coleção de joias reflete exatamente o que von Furstenberg é , uma mulher forte, capaz de superar as adversidades e relançar sua marca, que permanece no mercado como uma das mais influentes. Para Diane, as joias são sinônimo de adorno, investimento e talismã. Em 2004 ela conseguiu o que sempre quis, lançar sua linha de joias em parceria com a marca, H. Stern. Após anos de recusa, 20 , na verdade, ela pode lançar sua coleção. 
 
 
 
 

Eternidade

   E o que faz de Diane um ícone tão importante da moda? O que poucos conseguem, na verdade, reinventar o que parece óbvio. 
   A criação do vestido- envelope ( “wrap-dress”) fez com que ela criasse um modelo de roupa capaz de transmitir eterna elegância à mulher. Lançado em 1974, o modelo completou este ano, 40 anos de aniversário, o que proporcionou a DVF várias homenagens, inclusive  uma exposição em Los Angeles, chamada  a ” Jornada de um vestido” , que traça os momentos marcantes da trajetória de Diane e o modelo de sua autoria. 
   Mulher forte, Diane reconhece que ser casada com um príncipe colaborou para a criação de sua marca, mas que o fato dela existir até hoje, é graças a ela. Para ela, a roupa deve ser amiga da mulher, vesti-la bem, deixando-a bonita e segura. 
 
Vestido-envelope DvF
Vestido-envelope
 
 
 

Filantropia

   Além de coordenar o mundo da moda, Diane é diretora do ,” The Diller”, Fundação da família von Furstenberg, que é uma fundação privada que oferece ajuda financeira para organizações sem fins lucrativos dos seguintes setores : Educação, Direitos Humanos, Artes, Saúde e Meio-ambiente.
   Em 2010, Diane criou o prêmio ” The DvF” que é dado para as quatro mulheres que demonstraram ter senso de liderança, força, coragem e comprometimento na luta à favor dos direitos da mulher. As premiadas ganharam 50 mil dólares para continuar indo além com seus trabalhos. 
 
 
Com 28 anos, Diane saiu na capa da Newsweek, como “a mulher mais influente da moda depois de Chanel”.
 
 
 
 
 
 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s